Casa Real
Reserva Especial

Cabernet Sauvignon

Reconhecido mundialmente como um ícone clássico do Novo Mundo. É o resultado de uma combinação única de fatores; a união extraordinária de experiência, terroir e Cabernet Sauvignon para criar um vinho excepcional. Trinta anos de aprendizado enológico, combinados com a variedade correta e um vinhedo que data dos anos setenta, permitem que este vinho e o Alto Maipo sejam o orgulho da viticultura nacional.

Colheita

2015
2014
2013
2012
2011
2010
2009
2008
2007

Detalhes técnicos

Variedades 100% Cabernet Sauvignon
pH: 3.62
Acidez total: 5.47 g/L
Teor Alcoólico: 14.3% v/v
Açúcar Residual: 2.21 g/L

Opinião de especialista

"É a essência dos Cabernet Sauvignons do Maipo. Este é um desses tintos que todo amante dos vinhos chilenos deveria ter em sua adega. Denso e aromático, apresenta aromas a lápis, tabaco e madeira de cedro, além de jovens camadas de cassis e ameixa preta. A acidez, estrutura e integração do carvalho estão de acordo com a idade. Recomendação de beber entre 2022 e 2035."

95 pontos

(Janeiro 2018, Tim Atkin UK)

Comentário do enólogo

Em um ano fantástico em Alto Jahuel, os rendimentos foram levemente mais baixos que o esperado, o que resultou em um Cabernet Sauvignon rico, elegante e vibrante. O vinho apresenta uma coloração profunda e intensa, no nariz predominam cassis, cereja preta e grafite. O doce paladar médio não esconde sua origem no Alto Jahuel com taninos maduros e ricos que permanecem suavemente na boca. Nosso Casa Real 2015 é vivo, elegante e sedoso, com camadas de sabores e texturas, além de grande persistência.

Informações sobre a safra

A temporada 2014/2015 iniciou com temperaturas primaveris moderadas, sem geadas, o que permitiu uma brotação uniforme que começou na segunda semana de setembro. As condições climáticas ideais se mantiveram até a floração, embora as temperaturas tenham sido levemente superiores ao normal. Um vingamento limitado deu origem a pequenos cachos, porém bem arejados para Cabernet Sauvignon em Alto Jahuel. O pintor aconteceu no final de janeiro, sendo breve e concentrado, proporcionando um desenvolvimento de sabor bastante homogêneo. O verão em Alto Jahuel foi seco e quente e, em virtude disso, a maturação total dos taninos atingiu mais cedo um excelente nível de sabor e grande concentração.

Clima e solo

O clima é mediterrâneo subúmido. As precipitações se concentram principalmente no inverno e a precipitação média anual é de 500 mm. A primavera é fria e seca, e os verões calorosos com temperaturas que superam os 30 ºC. A influência da Cordilheira dos Andes causa diferenças de mais de 18 ºC entre as temperaturas diurnas e noturnas. As temperaturas começam a baixar no final do verão, o que permite que as uvas amadureçam gradualmente com uma boa concentração de fruta e uma adequada maturação dos taninos. Os solos são de origem aluvial com uma camada de solo franco de 80 a 100 cm. Uma camada inferior de textura limosa garante que a água das chuvas seja drenada corretamente e permite que as raízes se espalhem profundamente na terra.

Vinificação

A colheita das uvas foi realizada manualmente desde 13 até 23 de abril. A safra 2015 permitiu uma maturação ideal resultando em uvas frescas e bem equilibradas, com taninos maduros e alguns sabores bastante puros. A fermentação alcoólica realizou-se em pequenas cubas de aço inoxidável com leveduras selecionadas, com temperaturas que oscilaram entre 28 e 30 ºC. O programa de extração incluiu remontagens e delestagens decididas diariamente de acordo com a degustação. Terminada a fermentação, o vinho foi mantido em contato com suas cascas durante oito dias adicionais antes da descuba. O contato total com as cascas foi de 29 dias. As cascas foram prensadas utilizando uma prensa vertical. Nosso Casa Real 2015 foi envelhecido, mesclado e novamente envelhecido em barris durante 20 meses utilizando barris de carvalho francês 100% novos, ganhando assim equilíbrio, complexidade e elegância. O vinho foi engarrafado sem filtrar em novembro de 2017.

Potencial de guarda

Mais de 20 anos.

Detalhes técnicos

Variedades 100% Cabernet Sauvignon
pH: 3.63
Acidez total: 5.58 g/L
Teor Alcoólico: 14.3% v/v
Açúcar Residual: 2,3 g/L
Data de engarrafamento: Outubro 2015

Opinião de especialista

"Não será lançado em um ano ou mais, mas a espera valerá a pena. Produzido em uma safra fresca é, portanto, dotado de frescor e bem balanceado. Enfocado, de menta e elegante, com taninos salgados, carvalho bem integrado e frondoso, cassis e mirtilo. O Cabernet Sauvignon do Maipo se encontra no seu melhor momento. 2019-30."

96 pontos

(Março 2017, Tim Atkin UK)

reconhecimentos

James Suckling

2018

93 pontos

Descorchados 2018

2018

95 pontos

Comentário do enólogo

A temporada se caracteriza por baixas precipitações e temperaturas mais elevadas, o que dá origem a um vinho mais estruturado e potente. Casa Real 2014 apresenta uma intensa cor rubi de matiz profundo. É um vinho expressivo, no qual predomina a fruta vermelha madura, notas de grafite e cedro, a expressão fiel do Alto Jahuel. Em boca, os taninos apresentam grande equilíbrio entre estrutura e sedosidade, mostrando grande elegância com uma estrutura firme que promete um bom potencial de guarda.

Informações sobre a safra

A temporada 2014 é definida como um ano de condições secas e com um inverno de baixas precipitações. O início da temporada foi afetado por algumas geadas, levando a baixos rendimentos da produção. O clima durante a floração foi quente produzindo uma floração normal, seguida de uma fase de pintor um pouco mais longa. A estação se manteve seca e aparentava ser mais cálida que o ano anterior, mas as quedas de temperatura no final do verão a transformaram em uma temporada mais fria que as duas safras anteriores. No entanto, os vinhos Cabernet Sauvignon do Alto Jahuel se destacam por sua elegância e concentração.

Clima e solo

O clima é mediterrâneo subúmido. As chuvas se concentram principalmente no inverno com uma média anual de 500 mm. A primavera é fria e seca, enquanto os verões são quentes com temperaturas que superam os 30 ºC. A influência da Cordilheira dos Andes origina uma oscilação térmica de mais de 15 ºC entre o dia e a noite. As temperaturas começam a diminuir quase no final do verão, permitindo uma maturação gradual das uvas, mantendo uma boa concentração da fruta e garantindo uma maturação adequada dos taninos. Os solos de origem aluvial apresentam uma camada de solo franco de 80 a 100 cm de profundidade. Uma camada inferior de textura limosa garante a adequada drenagem da água das chuvas, permitindo um crescimento radicular profundo.

Vinificação

Uma colheita manual, muito lenta e diferenciada por planta no final de abril entregou um mosto fresco e equilibrado. A fermentação alcoólica com leveduras selecionadas e o controle da extração por degustação garantiram um vinho seco de ótima estrutura de taninos e equilíbrio de fruta madura. A fermentação malolática realizada em barris e o envelhecimento posterior, em barris novos de carvalho francês por um período de 18 meses, terminaram por realçar a complexidade e a fineza deste Cabernet Sauvignon.

Potencial de guarda

Mais de 20 anos.

Detalhes técnicos

Variedades 100% Cabernet Sauvignon
pH: 3.5
Acidez total: 3.55 g/l
Teor Alcoólico: 14.5% v/v
Açúcar Residual: 2 g/l
Data de engarrafamento: Novembro 2014

Opinião de especialista

"Explosivamente frutado e saboroso, concentrado, bons sabores marcados por amora, framboesa e ameixa negra. Apresenta toques de pedras quentes na metade do paladar, oferecendo um final puro e mineral. Beber até 2022.”

94 pontos

(Dezembro 2017, Wine Spectator USA)

reconhecimentos

Descorchados 2017

2017

96 pontos

Robert Parker

2017

93 pontos

James Suckling

2017

90 pontos

Wine Spectator

2017

94 pontos

Wine Enthusiast

2017

93 pontos

Decanter

2017

Destaque como referência de vinho ícone da América do Sul.

Mesa de Cata la Cav

2017

95 pontos

Comentário do enólogo

Sem dúvida um ano de contrastes climáticos que não permitiram prever a qualidade, no entanto, o conhecimento deste pequeno terroir que alberga este antigo Cabernet deu origem a um vinho extraordinário, de força tânica, porém de grande elegância e equilíbrio. Um vinho brilhante e expressivo, fresco, com um fundo de frutas maduras e especiarias características do lugar. Sua concentração e equilíbrio garantem um grande potencial de envelhecimento.

Informações sobre a safra

Podemos definir o ano de 2013 como um ano de contrastes em função das condições climáticas pouco constantes provavelmente devido à retirada do fenômeno La Niña. Um ano marcado por um inverno mais seco que o de um ano normal, porém mais chuvoso que a temporada anterior. As precipitações se concentraram no inverno sendo registrados aproximadamente 500 mm, incluídos os incomuns 40 mm do mês de dezembro. Uma primavera fria, seca e livre de geadas para a região de Alto Jahuel resultou em uma brotação e floração desigual. O pintor se registrou com atraso (a princípios de fevereiro), motivo pelo qual o período de colheita se prolongou até final de abril à espera da maturação da fruta. Foram obtidos mostos bastante frescos e equilibrados, de pH mais baixo que o usual e com um aumento do açúcar normal no final da temporada.

Clima e solo

O clima é mediterrâneo subúmido. As chuvas se concentram principalmente no inverno com uma média anual de 500 mm. A primavera é fria e seca, enquanto os verões são quentes com temperaturas que superam os 30 ºC. A influência da Cordilheira dos Andes origina uma oscilação térmica de mais de 15 ºC entre o dia e a noite. As temperaturas começam a diminuir quase no final do verão, permitindo uma maturação gradual das uvas, mantendo uma boa concentração da fruta e garantindo uma maturação adequada dos taninos. Os solos de origem aluvial apresentam uma camada de solo franco de 80 a 100 cm de profundidade. Uma camada inferior de textura limosa garante a adequada drenagem da água das chuvas, permitindo um crescimento radicular profundo.

Vinificação

Uma colheita manual, muito lenta e diferenciada por planta no final de abril entregou um mosto fresco e equilibrado. A fermentação alcoólica com leveduras selecionadas e o controle da extração por degustação garantiram um vinho seco de ótima estrutura de taninos e equilíbrio da fruta madura. A fermentação malolática realizada em barris e o envelhecimento posterior, em barris novos de carvalho francês por um período de 16 meses, terminaram por realçar a complexidade e fineza deste Cabernet Sauvignon.

Potencial de guarda

Mais de 20 anos.

Detalhes técnicos

Variedades 100% Cabernet Sauvignon
pH: 3.66
Acidez total: 3.65 gr/lts
Teor Alcoólico: 14,4 % v/v
Açúcar Residual: 2 gr/lts
Data de engarrafamento: Novembro 2013

Opinião de especialista

"Este Cabernet de primeira qualidade nunca falha e, neste ano caloroso, o vinho exibe cor escura e aromas exuberantes, porém precisos, de grafite, amora fresca, especiarias para preparações ao forno e solo de bosque. Paladar profundo e suficientemente apimentado, enquanto o ardor do cassis acrescenta toques herbáceos integrados. As cores do final são café e chocolate, com taninos suaves, fazem com que tudo isso esteja acessível a partir de agora e até 2022.”

93 pontos

(Janeiro 2017, Wine Enthusiast USA)

Comentário do enólogo

Uma safra considerada precoce e muita rica em fruta e taninos. A baixa produção natural permitiu obter um vinho profundo e de alta concentração, com uma cor intensa, brilhante e viva e com muita expressão de fruta doce e madura. Um vinho com riqueza tânica, de fundo suave e elegante, característico do terroir. Seu dulçor e sua complexidade são provenientes da madeira refinada na qual o vinho foi envelhecido.

Informações sobre a safra

Um ano marcado por pouca precipitação no inverno, com uma primavera seca e uma média de temperaturas dentro do normal. Durante o mês de novembro, houve uma onda de calor que implicou a bagoinha observada no final do período de vingamento, e que afetou o rendimento. Um verão previsível, com ondas de calor que fizeram com que as temperaturas máximas em fevereiro e março fossem superiores ao normal, começando a baixar próximo ao mês de abril. O pintor ocorreu na época esperada e de forma rápida. O ano foi marcado por uma amplitude térmica maior, devido às altas temperaturas diurnas e a temperaturas noturnas levemente inferiores. As ondas de calor durante o período de amadurecimento levaram a um aumento dos graus-dia acumulados durante a estação, o que permitiu que as frutas amadurecessem 10 a 15 dias antes do habitual.

Clima e solo

O clima é mediterrâneo subúmido. As chuvas estão concentradas principalmente no inverno, com uma média anual de 500 mm de precipitação. A primavera é fria e seca, enquanto que o verão é quente, com temperaturas acima de 30 oC. A influência da Cordilheira dos Andes origina uma oscilação térmica de mais de 15 oC entre o dia e a noite. As temperaturas começam a diminuir no final do verão, permitindo o amadurecimento gradual das uvas para manter uma boa concentração de fruta e taninos maduros. Solos de origem aluvial com uma camada de solo franco de 80 a 100 cm de profundidade. Uma camada inferior de textura limosa garante a drenagem adequada da água da chuva, permitindo um crescimento radicular profundo.

Vinificação

Uva colhida no início da vindima, na primeira quinzena de abril, em pequenas caixas de 15 quilos. Vinificação clássica entre 28 e 30 °C, em pequenos tanques, permitindo obter uma extração refinada e por completo. Fermentação malolática em barris de carvalho francês com tosta média (80% novos), por um período de 16 meses. O vinho não foi clarificado nem filtrado.

Potencial de guarda

Mais de 20 anos.

Detalhes técnicos

Variedades 100% Cabernet Sauvignon
pH: 3.51
Acidez total: 5.75 g/l
Teor Alcoólico: 14.5 % v/v
Açúcar Residual: 1.94 g/l
Data de engarrafamento: Janeiro de 2013

Opinião de especialista

"A melhor enóloga do ano, Cecilia Torres, afirma que 2011 foi a safra mais fresca da história de Casa Real, vinho que a Santa Rita elaborou pela primeira vez em 1989. É possível sentir esse frescor na acidez à medida que penetramos nos sabores maduros de Cassis e especiarias doces. Sua textura é típica deste clássico Cabernet de Alto Jahuel: suave, sofisticado na sua suavidade, com picadas de tanino que proporcionam aderência e tensão. Um vinho para ser guardado na adega por dez anos ou mais."

93 pontos

(Fevereiro 15, Wine & Spirits USA)

Comentário do enólogo

Cor intensa, profunda e com um brilho elegante. Aromas frutados frescos e generosos; intenso no nariz. Em boca, é muito elegante e apresenta bom corpo e ótima harmonia entre fruta e madeira, sobre um fundo de taninos suaves e aveludados. Boa profundidade. Uma safra de grande elegância e frescor.

Informações sobre a safra

Ano marcado pelo fenômeno de La Niña. Um inverno frio e de baixo índice pluviométrico, seguido por uma primavera de temperaturas incomumente altas, com uma temperatura máxima superior a 30 °C no mês de novembro. Por outro lado, as temperaturas máximas caíram a partir de dezembro, fazendo deste um mês extraordinariamente frio, situação que se repetiu em janeiro. Este baixo acúmulo de calor fez com que tanto o pintor quanto a colheita atrasassem 20 dias. Pode-se considerar uma safra seca, pois não houve precipitações importantes durante o período de amadurecimento, o que proporcionou uvas muito saudáveis na vindima.

Clima e solo

O clima é mediterrâneo subúmido. As chuvas estão concentradas principalmente no inverno, com uma média anual de 500 mm de precipitação. A primavera é fria e seca, enquanto que o verão é quente, com temperaturas superiores a 30 oC. A influência da Cordilheira dos Andes origina uma oscilação térmica de mais de 15 oC entre o dia e a noite. As temperaturas começam a diminuir no final do verão, permitindo um amadurecimento gradual das uvas para manter uma boa concentração de fruta e taninos maduros. Solos de origem aluvial com uma camada de solo franco de 80 a 100 cm de profundidade. Uma camada inferior de textura limosa garante uma drenagem adequada da água da chuva, permitindo um crescimento radicular profundo.

Vinificação

O momento da colheita foi decidido pela degustação das bagas. As uvas foram colhidas manualmente em pequenas caixas de 15 quilos. A vinificação foi muito clássica e a fermentação foi realizada entre 28 e 30 ºC. Não houve maceração a frio e o tempo de encubação foi de 27 dias. O vinho foi transferido para barris de carvalho francês (90% novos) de tosta média, onde foi realizada a fermentação malolática.

Envelhecimento

O produto foi envelhecido durante 15 meses em barris franceses (90% de primeiro uso), provenientes de diferentes florestas e tanoarias. O vinho não foi clarificado nem filtrado, e permaneceu um ano em garrafa antes de sair para o mercado.

Detalhes técnicos

Variedades 100% Cabernet Sauvignon
pH: 3.57
Acidez total: 3.7 g/l
Teor Alcoólico: 14.4% v/v
Açúcar Residual: 1.8 g/l
Data de engarrafamento: Janeiro de 2012

Opinião de especialista

"Este é um vinho de linda complexidade com flores, sândalo e sutis groselhas. Corpo completo com paladar central denso e final longo. A partir deste ponto, mantém a pureza do Cabernet Sauvignon. Um glorioso vinho jovem. Beber ou guardar."

96 pontos

(Junho 2014, James Suckling USA)

Comentário do enólogo

Vermelho-rubi intenso e profundo, com um brilho elegante. No nariz, aromas doces de frutas vermelhas e pretas se mesclam com notas de madeira refinada, realçando sua complexidade. Em boca é doce, maduro, elegante e concentrado, com taninos firmes, maduros e sedosos. Grande potencial de guarda. Um grande ano!

Informações Sobre A Safra

Esta safra foi definida como uma safra muito rica em concentração de fruta, elegância, qualidade e quantidade de taninos. Uma baixa produção natural permitiu obter uvas concentradas, favorecendo também a espera do amadurecimento devido às condições tardias do ciclo. A brotação foi normal e se concentrou na segunda quinzena de setembro; o vingamento também foi normal e o pintor ocorreu 15 dias mais tarde que o habitual. A colheita foi tardia, devido à espera pelo amadurecimento fenólico, e se concentrou no final de abril e durante a primeira semana de maio. As precipitações se concentraram principalmente no inverno, prolongando-se até os meses de setembro e outubro, com um total de 310 mm de precipitação. A falta de chuva após o pintor permitiu chegar à colheita sem nenhum problema fitossanitário. A ausência de temperaturas máximas muito elevadas favoreceu um bom desenvolvimento em termos de qualidade e intensidade de fruta e de taninos. As temperaturas mínimas em geral oscilaram ao redor de 4 oC durante os meses de inverno e no início da primavera, sendo muito similares às do ano anterior.

Clima e solo

O clima é mediterrâneo subúmido. As chuvas estão concentradas principalmente no inverno, com uma média anual de 500 mm de precipitação. A primavera é fria e seca, enquanto que o verão é quente, com temperaturas superiores a 30 oC. A influência da Cordilheira dos Andes origina uma oscilação térmica de mais de 15 oC entre o dia e a noite. As temperaturas começam a diminuir no final do verão, permitindo um amadurecimento gradual das uvas para manter uma boa concentração de fruta e taninos maduros. O vinhedo possui solos de origem aluvial com uma camada de solo franco de 80 a 100 cm de profundidade. Uma camada inferior, de textura limosa, garante a drenagem adequada da água da chuva, permitindo um crescimento radicular profundo.

Vinificação

As uvas foram colhidas manualmente em pequenas caixas de 15 quilos. A fermentação foi realizada entre 25 e 30 oC. Após a fermentação alcoólica e uma curta maceração, o vinho foi transferido para barris de carvalho francês, de primeiro uso, onde foi realizada a fermentação malolática.

Envelhecimento

O vinho foi envelhecido durante 15 meses em barris franceses de primeiro uso (100%), provenientes de diferentes florestas e tanoarias.

Detalhes técnicos

Variedades 100% Cabernet Sauvignon
pH: 3.52
Acidez total: 3.27 g/l
Teor Alcoólico: 14.7%
Açúcar Residual: 2.5 g/l
Data de engarrafamento: 10 de fevereiro de 2011

Comentário do enólogo

A safra 2009 foi marcada por uma grande expressão de fruta, complexidade e tipicidade. É um vinho de taninos suaves, maduros, longos e elegantes. De cor intensa e vivaz, o Casa Real 2009 apresenta aromas complexos de frutas frescas vermelhas como ameixa e cereja, combinadas com notas de mirtilo, que caracterizam a safra. Possui um fundo adocicado, proveniente da madeira refinada em que foi envelhecido. Um vinho fresco, mas de muita complexidade e concentração de fruta, que anunciam um grande potencial de guarda.

Filosofia

Resgatar as características do terroir de Carneros Viejo em termos de tipicidade varietal, qualidade, quantidade e elegância dos taninos e concentração de fruta, além de mostrar seu grande potencial de guarda. "A maior expressão de pureza."

Informações sobre a safra

O ano em geral foi altamente influenciado pelo fenômeno de La Niña, o que significou um movimento de correntes frias em direção à costa chilena e baixas temperaturas no Oceano Pacífico. Isto originou um baixo nível de precipitações e temperaturas ambiente relativamente altas, atrasando o começo do outono.

No microclima de Maipo Alto, o inverno 2008 teve uma média de temperaturas mínimas um pouco superior à média do ano anterior, porém favorável, com uma presença escassa de geadas e com uma média de temperaturas máximas substancialmente menor em relação ao período 2007–2008. Uma primavera com temperaturas médias quentes nos levou a obter uma safra mais regular ou em equilíbrio com a folhagem das plantas. O período desde o pintor até a colheita não teve chuva, o que nos permitiu esperar o amadurecimento fenólico e iniciar a colheita na segunda semana de abril, de 7 a 10 dias mais cedo que o ano anterior.

Houve 414 mm de precipitação, concentrados entre maio e agosto, compensando um pouco o déficit do ano anterior.

Clima e solo

O clima é mediterrâneo subúmido. As chuvas estão concentradas principalmente no inverno, com uma média anual de 500 mm de precipitação. A primavera é fria e seca, enquanto que o verão é quente, com temperaturas superiores a 30 oC. A influência da Cordilheira dos Andes origina uma oscilação térmica de mais de 15 oC entre o dia e a noite. As temperaturas começam a diminuir no final do verão, permitindo um amadurecimento gradual das uvas para manter uma boa concentração de fruta e taninos maduros. O vinhedo possui solos de origem aluvial com uma camada de solo franco de 80 a 100 cm de profundidade. Uma camada inferior de textura limosa garante a drenagem adequada da água da chuva, permitindo um crescimento radicular profundo.

Vinificação

O início da colheita no vinhedo de Carneros Viejo, localizado na base dos Andes, sempre é determinado através da degustação, com atenção especial ao amadurecimento dos taninos. A colheita é realizada manualmente, em pequenas caixas de 15 quilos.

Uma seleção meticulosa realizada no vinhedo é complementada com a seleção das melhores bagas na correia de seleção da adega. Uma fermentação clássica (27 a 28 oC) realizada com leveduras selecionadas nos garante um vinho bem-acabado, que mantém todas as características próprias do terroir. Após a fermentação, o vinho foi macerado durante duas semanas e, posteriormente, transferido a barris novos de carvalho francês para passar pela fermentação malolática e, então, pelo envelhecimento.

Potencial de guarda

Mais de 20 anos.

Detalhes técnicos

Variedades 100% Cabernet Sauvignon
pH: 3.53
Acidez total: 3.6 g/lt
Teor Alcoólico: 14.7% Vol.
Açúcar Residual: 2.4 g/lt
Data de engarrafamento: 5 de maio de 2010

Opinião de especialista

"De um vermelho elegante com uma sensação firme e sedosa na boca que perdura por minutos com fruta doce e caráter sutil de rosa e sândalo. Tão refinado e belo. Pureza do Cabernet Sauvignon. Beber agora."

95 pontos

(Junho 2014, James Suckling USA)

Comentário do enólogo

A safra 2008, extremamente opulenta, caracteriza-se por um equilíbrio surpreendente entre a fruta, seus taninos refinados e sua concentração. A elegância é sua principal característica e faz lembrar a origem deste vinho e as características do terroir. De cor intensa e brilhante, é expressivo no nariz, frutado, maduro e apresenta notas de especiarias, características do vinhedo. Em boca é elegante, concentrado e bem equilibrado, o que garante um grande potencial de guarda.

Informacões sobre Safra

O inverno do período 2007–2008 foi um dos mais frios dos últimos 40 anos. Caracterizou-se por uma alta frequência de geadas e temperaturas médias mínimas inferiores às habituais. Um início de primavera frio e meses de outubro e novembro anormalmente quentes aceleraram os processos fisiológicos, encurtando o período entre a brotação tardia e o início da floração. Isto se manifestou em uma maior quantidade de brotos curtos e em um menor vingamento, levando a um menor rendimento. Uma primavera e um verão sem precipitações permitiram esperar um amadurecimento completo, resultando em uma safra de baixa produção de frutos, mas de alta qualidade. A colheita foi relativamente tardia, concentrada no final de abril. Estas características climáticas deram origem ao vinho Casa Real, concebido como um vinho de terroir, de extrema elegância, concentrado, com importante presença de notas de frutas como cassis e amora, emolduradas por taninos doces e sedosos.

Clima e solo

O clima é mediterrâneo subúmido. As chuvas estão concentradas principalmente no inverno, com uma média anual de 500 mm de precipitação. A primavera é fria e seca, enquanto que o verão é quente, com temperaturas acima de 30 oC. A influência da Cordilheira dos Andes origina uma oscilação térmica de mais de 15 oC entre o dia e a noite. As temperaturas começam a diminuir no final do verão, permitindo um amadurecimento gradual das uvas para manter uma boa concentração de fruta e taninos maduros. Solos de origem aluvial com uma camada de solo franco de 80 a 100 cm de profundidade. Uma camada inferior de textura limosa garante a drenagem adequada da água da chuva, permitindo um crescimento radicular profundo.

Vinificação

Clássica em todos os sentidos. As uvas, colhidas manualmente, são selecionadas no próprio vinhedo e, novamente, na adega. A fermentação alcoólica é realizada utilizando-se uma levedura selecionada, para garantir uma fermentação tranquila e por completo. A extração da cor e dos taninos é realizada através de remontagens manuais, e o ponto ideal de extração é decidido após a degustação, respeitando-se o máximo possível as características da uva, para obter assim o máximo potencial da variedade. O vinho foi envelhecido durante 18 meses em barris novos de carvalho francês. A fermentação malolática foi realizada em barris. O vinho não foi filtrado.

Potencial de guarda

Mais de 20 anos.

Detalhes técnicos

Variedades 100% Cabernet Sauvignon
pH: 3.5
Acidez total: 3.2 g/lt
Teor Alcoólico: 14.5% Vol.
Açúcar Residual: 27 g/lt
Data de engarrafamento: 24 de julho de 2009

Opinião de especialista

"Um dos vinhos de referência do Chile, é tipicamente limpo, puro e atraente. No nariz é maduro e luxurioso, enquanto no paladar é vital, suculento, fresco e crocante, com finos sabores de Cabernet de negro. Groselha, cereja, chocolate e mais. Provavelmente é o que mais se aproxima em estilo aos vinhos do grande vale de Napa e Cab; profundo e de final abundante, porém refinado. Para beber durante 2017.”

93 pontos

(Junho 2011, Wine Enthusiast, USA)

Comentário do enólogo

Este vinho 100% Cabernet Sauvignon, proveniente de um vinhedo antigo, demonstra o grande potencial e a tipicidade da variedade em seu sentido mais amplo. Cor vermelho-rubi intenso e profundo, aromas complexos de frutas vermelhas, ameixa, cereja e notas de frutas pretas maduras, como amora e mirtilo, combinam-se com toques doces de baunilha e café. O equilíbrio entre fruta e acidez, complementado pelos taninos doces e sedosos, projeta um vinho com longo potencial de guarda.

Informações sobre a safra

Podemos definir a safra 2007 como extremamente generosa em termos de qualidade, concentração de fruta, equilíbrio, riqueza e qualidade dos taninos.

Um inverno com temperaturas aceitáveis e relativamente seco marcou uma primavera fria; no entanto, o equilíbrio natural do vinhedo permitiu uma brotação (rompimento das gemas) precoce e o vingamento completo, com alta concentração de bagas em cachos pequenos. O verão foi longo, com um mês de janeiro muito quente e, apesar da chuva em fevereiro, os meses de março e abril foram muito generosos em temperatura e amplitude térmica; isto permitiu esperar o amadurecimento completo e elaborar um vinho fresco e bem estruturado, com caráter frutado intenso. A colheita foi mais tardia que de costume, começando no final de abril.

Clima e solo

O clima é mediterrâneo subúmido. As chuvas estão concentradas principalmente no inverno, com uma média anual de 500 mm de precipitação. A primavera é fria e seca, enquanto que o verão é quente, com temperaturas superiores a 30 ºC. A influência da Cordilheira dos Andes origina uma oscilação térmica de mais de 15 ºC entre o dia e a noite. As temperaturas começam a diminuir no final do verão, permitindo um amadurecimento gradual das uvas para manter uma boa concentração de fruta e taninos maduros. Solos de origem aluvial com uma camada de solo franco de 80 a 100 cm de profundidade. Uma camada inferior, de textura limosa, garante a drenagem adequada da água da chuva, permitindo um crescimento radicular profundo.

Vinificação

As uvas do espetacular terroir de Carneros Viejo, na base da Cordilheira dos Andes em Maipo Alto, são colhidas manualmente e selecionadas em duas etapas: a primeira, no próprio vinhedo, e a segunda, sobre uma correia de seleção na adega. Uma fermentação clássica, com temperaturas entre 27 e 29 ºC (de 82 a 84 ºF) por 12 dias, seguida por uma curta maceração (10 dias), permitiu obter um vinho de taninos elegantes e sedosos e com muita expressão de fruta. A fermentação malolática sempre é realizada em barris novos de carvalho francês. O vinho foi envelhecido durante 15 meses em barris de carvalho francês de tosta média, sendo 95% novos.

Terroir
Vale

Maipo

Variedades

Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc, Petite Sirah, entre otras variedades tintas.

Tempo

Seu clima mediterrâneo semiárido produz invernos frios com chuvas moderadas, verões quentes e secos. A oscilação térmica pode superar os 20°C (68°F), com temperatura média anual de 13,9°C (57°F). A média de precipitações varia entre 300 e 450 mm/ano.

Temperatura Média Anual

13,9 ºC (57 ºF).

Precipitação Anual Média

400 mm.z

Solo e Superfície

O vale apresenta solos aluviais e coluviais, pedregosos que permitem boa drenagem.

x